Empty

Vazio…

vazio em plenitude

Mais do que isso, multidão e apenas sexo, só mais uma noite e como vamos morrer, uma ultima gozada, ultimo golpe, gole, texto… Uma falta de desejo, uma vontade de tudo. Suprir o nada, seguir como se fosse alguém (quem?). Negar o amor como se fosse eterno, sedento da falta de… “Eu te amo mas não gosto de você”. É que esse vazio me viciou, me tornou a solidão menos triste que já vi pois nunca estou só e contemplo a multidão enfiada entre as pernas sem sequer me sentir tocada, mas não disse que isso é ruim…

Seja agua porque me sinto pedra. Me dê uma surra! Uma vida não seria suficiente pra testemunhar o efeito, ainda que estivessemos bastante vivos… É só por isso. O grito que engoli me revira o estomago, criou boca e anda a morder-me, subiu pelo esôfago e agarrou com os dentes a minha amidala, é que eu pensei que fosse muito e insuficiente… querer… Esse grito só me  lembra descaso porque não dei ouvidos, e agora é assim: uma dor na garganta e o resto é vazio…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: